sexta-feira, março 23, 2012

lacunas.




A questão que me tortura a mente e a deixa neste estado apático, não é sobre como suportar a dor que sufoca novamente o peito apertado. Habituada a sofrer e desiludir-me é algo que estou após tantas desilusões e espíritos enganadores. O que me faz sentir novamente frívola e ingénua é, na verdade, não saber o que nos aconteceu. Esfumaste-te quase tão ferozmente como surgiste e deixaste-me a falar sozinha, atirando palavras apenas ao vento que agreste, troçou das saudades que sentia de ti. E eu julgava que eras a excepção ao vazio que se instala nas almas que nos circundam, afinal constantando que eras apenas mais uma partícula desse vácuo tão comum a tantos seres.

2 comentários:

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

que se passa querida?

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

se quuiseres falar sobre isso, sabes que podes querida