terça-feira, dezembro 27, 2011


Quero falar contigo sempre e para sempre. Ainda me recordo de cada palavra que me entregaste no olhar e as que não pronunciaste na minha direcção. Se ao menos eu pudesse visitar-te como um estrangeiro que se desloca a um novo país, aprender a tua linguagem, atravessar todas as fronteiras que me separam de todos os teus sítios privados e secretos, eu ficaria em ti eternamente. Tornar-me-ia uma cidadã em ti.  Queria eu ser desconhecida na vasta imensidão que está ao alcance das minhas mãos e que por algum motivo, não me permito tocar. Dir-me-ias que é demasiado cedo para me deixar assolar por uma paixão tão avassaladora como esta. Perguntar-me-ias como eu posso ter tanta certeza e estar tão segura. Mas algumas sensações não podem ser medidas pelo tempo. Questiona-me novamente daqui a uma hora. Daqui a um mês. Um ano, dez anos, uma vida inteira. A maneira como te amo perdurará em cada calendário, relógio, em cada campainha de todos os sinos que alguma vez soarão...

6 comentários:

Sabrina disse...

Tão bonito :o
Está mesmo lindo *-*

Jasmine disse...

está tão lindo *.*

Dário Rodrigues disse...

Conseguiste me fazer vir aqui dar um comentário... eheh... ai esta preguiça...

Gostei muito deste texto.

Beijo.

Sayuri Okamoto disse...

a forma bonita como põe as palavras no modo de amar tão profundo, me deixa absorta nos pensamentos aqui....

beijos

Leonor disse...

adorei, está mesmo lindo :)

Sabrina disse...

Obrigada pelas palavras (: obrigada mesmo <3