quinta-feira, novembro 24, 2011

Encosta-te á minha alma.



Encosta-te á minha alma e fá-la oscilar. São apenas meia dúzia de toques até encontrares o acorde certo. O timbre da tua voz corroi-me os pensamentos mas nunca a vontade de vibrar com o toque de veludo inerente aos teus dedos. São outras mil músicas a percorrer-me os sentidos. Alimenta-te da minha sede de  ouvir-te novamente e percorre-me uma vez mais a saudade. A saciedade tarda a chegar quando a tua ausência estende-se por mais que um segundo. 
Toca-me a alma e enche-me de poesia. Escreve saudade no meu  distorcido reflexo e adormenta-me a mágoa com o teu doce e lânguido olhar. Torna a tua presença indecifrável sempre que o som de uma melancólica balada me provoque o animo enlouquecido e o teu silêncio for mais forte que nós. Estremece-me a alma como apenas tu consegues. São os últimos acordes no meu inquieto amâgo antes de uma nova vaga de incontroláveis suspiros...

3 comentários:

inês disse...

está tão lindo!
p.s.:obrigada pelo teu comentário :)

Leonor* disse...

Gostei do teu blog em geral e principalmente do 1º textoo :)
Vou seguir , beijos

claire disse...

tão lindo!