quinta-feira, junho 10, 2010

A vida continua...


Qual palavra me/te define melhor. Há muitas que há muito tempo pude utilizar mas agora só há o que não existe mais!
Sabes eu sei que tudo o que és e o que me parecias ser, fez-me sentir saudades, fê-las sentirem-se agora, sendo que são o representante do passado no presente, porque este passado deixou-me marcas que não quero apagar, mas para quando pensar no futuro? Nunca porque não existes lá, logo o que vale a pena é sentir saudades, de tudo menos de um futuro, porque não consigo sentir saudades de um futuro a que não pertences!
Às vezes ponho-me a pensar como seria se nunca te tivesse conhecido, se não te tivesse tocado, cheirado, olhado, e desiludido... e ai fico em suspenso, porque ainda não consigo fazer esse exercício? Então, porque não posso... porque não consigo... porque não quero! Pelo menos por agora ainda me parece certo seguir o meu coração e continuar a amar-te! Não me amas? Pois não... - magoei-me ao constatar isto e o pior é constato isto todos os minutos, todas as horas de todos os dias, de todas as noites – mas um dia também vou conseguir fazer o mesmo!
Há saudades que sinto paralelas ás tuas, saudades de ser menina, saudades de rir até cair para o chão, saudades de passear de cabeça levantada, saudades de brincar, enfim de ser muito feliz, ou pelo menos de ser um pouco, só um bocadinho,(sinto saudades de muitas coisas que até posso nem ter tido) é que há bocadinhos muito importantes que apesar de pequenos não são menos importantes, do que o resto das alegrias todas (as outras).
Fizeste-me pensar que nada é mais importante, nem mesmo eu, do que as coisas que dizes, as coisas que fazes, as que pensas, as que olhas, as que usas (como fazes comigo), todas coisas que cheiras, tudo isso apesar de ser materialmente mais valioso que eu, no meu espirito são, mas muitas vezes me dizem que devia valorizar-me, e que só sofro porque quero! È verdade sofro porque quero (amo) e quanto ao valorizar-me a mim sem ti, não sei se quero!
Saudades de sentir que já me cortaram o cordão que me liga a ti, porque tal como o que me cortaram quando nasci, este faz-me depender de alguém para viver, o outro era da minha mãe este é de ti! Será que se cortarem este, como fizeram com o outro consigo respirar por mim? Mas que nojo! Sentir que dependo assim tanto de uma pessoa que nem merecia que lhe cuspisse em cima, é o nojo não de ti mas de mim e das minhas acções que um dia irão a acabar por cessar, não acho que me vás perturbar, pelo menos desta maneira, para sempre, ou vais?
É estúpido fazer-te estas perguntas, porque sei que não tens uma resposta para dar, sei que não te interessam e que mesmo que as lesses nunca irias responder, pelo menos não irias dizer o que eu quero que digas, ias começar com as tuas verdadinhas, as tuas respostas previsivelmente deprimentes (para mim).
Queria dizer que sinto saudades tuas! Isto dito do dicionário (que a palavra é só portuguesa). Queria dizer que te amo! E isto é dito com a alma e o coração com todas as minhas forças! Queria dizer que tenho nojo de quem és! Isto é dito com a face menos utilizada a razão.

1 comentário:

Sayuri disse...

adoreiiiiiiiii mto profundo por acaso vc ja viveu isso??
bjooo depois me segue