terça-feira, novembro 30, 2021

O formato dos teus olhos.

 


 Já não me recordo do formato dos teus olhos, nem da cor,  nem dos cílios, nem do brilho que deles emanava quando as tuas experiências através deles gotejavam. Apenas lembro-me que sempre que os via brilhar de perto, tudo dentro de mim contorcia-se como mil borboletas violentamente presas num turbilhão. O coração desesperava-se por engolir as palavras em silêncio e eu desviava a face com receio de leres as palavras guardadas no fundo da minha alma. Foram nas várias vezes que me perdi no teu olhar que a minha existência teve mais cor e os meus dias tornaram-se menos chatos.

sexta-feira, novembro 26, 2021

 

 


 Não sei quanto tempo demora para esquecer esta solidão que deixaste no meu peito quando contigo levaste o meu coração...

quinta-feira, novembro 25, 2021

Ninguém.

 

 


Ninguém nunca gostou de mim sem segundas intenções. Gostar da minha companhia só porque sim. Querer os meus abraços porque guardam dentro deles a sinceridade de um amor puro e verdadeiro. Aceitar os meus beijos na palma da mão e não querer que eu fugisse á procura de outro ser. Ninguém teve um medo desmesurado de perder-me e achar que nunca encontraria alguém como eu. Ninguém nunca quis saber tudo sobre mim, sobre as minhas manias, os meus gostos, o meu estilo ou a minha cor preferida. Ninguém nunca quis conhecer a minha alma e o que há dentro de mim. Nunca alguém permitiu que eu me abrisse e fosse eu, transparente. Queria sentir em mim alguém que conhecesse as minhas fúrias, a minha intensidade, os meus momentos menos bons e decidisse permanecer mesmo assim.  Ninguém nunca segurou a minha mão e disse-me que eu podia contar as minhas decepções, ninguém nunca quis ouvir a minha voz rouca e com sono antes de tomar o meu primeiro café do dia. Jamais alguém nesse mundo ingrato olhou-me com carinho e quis ouvir por horas as minhas teorias sobre o amor, sobre as minhas crenças ou o que eu pensava sobre o que acontece depois de tudo isto. Ninguém me conhece verdadeiramente nem nunca houve alguém que se esforçasse para conhecer.