sábado, maio 12, 2012

amanhã.





Restam-me apenas as lágrimas encarceradas pela sôfrega e enlouquecida saudade. Segue dentro de mim a inspiração que abandonaste no meu olhar. O coração a transbordar de melancolia e de nostalgia porque não entende a constante falta de amor. Tristeza latente em cada recanto do meu ser, a voz que se cala e emudece perante a tua ausência agora permanente, os sentimentos que se escondem cientes do vazio que és actualmente. 
São desabafos que não são exteriorizados e que se perdem no adeus que não consigo pronunciar mesmo sabendo que tu já deslizaste essa cruel palavra pela minha pele. Falta-me o sangue a correr pelas solitárias veias, a tua frieza a acalentar-me a fronte queimada, os teus vocábulos a encher-me a alma de sentires que não sei explicar. Pergunto-me se uma despedida sincera seria o que preciso para afugentar a saudade que me trucida o coração calejado, mas viciei-me nas voites em que entregamos silabas e letras soltas um ao outro e sinto-me excessivamete apegada ás recordações do que nunca fomos.

Amanhã, talvez seja o meu momento.

2 comentários:

CM disse...

amei

Nicole ♪ disse...

Oii^^
Tudo bemm??
Estava passeando pela blogsfera, e achei seu cantinho!
Me apaixonei, rsrs!
Pensei se você poderia me ajudar coma meta de 400 seguidores!
Tem como???
Um beijo

imastoryne.blogspot.com