segunda-feira, fevereiro 13, 2012

impasse.


Estamos novamente num impasse. As palavras que não foram ditas, ressoam na minha mente como martelos pneumáticos em constante funcionamento. Doí não saber o que fazer. Não saber como agir. Se sequer devo accionar movimentos, sentimentos, pensamentos. A alma está gasta pela ausência de certezas. 
Tu, tu continuas á distância, preso nos meus olhares sem mexeres um músculo. Eu pergunto-me qual o significado (se é que existe) de tudo isto. No entanto, não consigo libertar-me destas dúvidas que me martirizam o ser embaciado pelos teus avanços e recuos e, a cada dia volvido,  sinto mais e mais a necessidade de extravazar o que guardo em mim, ainda que isso possa resultar na minha morte emocional... 

4 comentários:

Andreia' disse...

Adorei.

Cath disse...

Sempre perfeito.

nicolemorais disse...

quem sabe se tirares as tuas dúvidas não te vai fazer sentir melhor? força!*

Tati Lemos disse...

esse impasse é o que as vezes não deixa a vida nem o amor acontecerem.

Beijo querida, adorei ler teu blog.