quinta-feira, dezembro 01, 2011

um dia daqueles.



Parece-me ser mais um dia daqueles. Levanto-me da cama fria e o meu corpo pede-me um café cremoso, desses que apenas tu sabes tirar. Relutante, saio para a rua e vejo que nada mudou. As paisagens continuam estáticas e as pessoas seguem com as suas vidas. Sem saber ao certo porquê, as pequenas coisas fazem-me sorrir. O bater de asas dos pequeninos seres sobre a minha cabeça, a gargalhada de uma criança inocente, o aroma a chuva que paira intermitantemente no céu. Continuo a não ser feliz e sigo esta vida sem a tua presença a meu lado, mas hoje, ao contrário de muitos outros dias, não me incomoda esse facto. A serenidade que invade a minha alma e alastra-se a todo o meu corpo sugere-me um descanso emocional. Agrada-me. Estava cansada de sentir sentimentos injustificados. Quase acredito que estou finalmente a esquecer-te e que consigo abrir o coração a novas pessoas. Áquelas que vão tomar conta dele e não triturá-lo e pisá-lo como tu, repetidamente, fizeste. Sinto Dezembro nos ossos e rejubilo. Sempre gostei mais do gelo causado pelas estações. A chuva toca-me nos ombros e, com o espirito renovado, saboreio por fim o meu café. Era, com efeito, mais um dia daqueles.

1 comentário:

marisa disse...

oh, obrigada :)
vou seguir de volta. :)