domingo, julho 24, 2011

A tua voz no (meu) ouvido dela


Estou em queda livre. O chão voltou a abrir-se e a engolir o meu coração. Olho com desespero para o meu corpo que permanece inerte sobre o solo rasgado.O aroma que se espalha pelo ar enoja o meu pobre e fraco espirito. As ilusões têm sotaque espanhol e dilaceram tudo aquilo que parecias me transmitir. Tento abstrair-me da impotência que se apodera de mim mas apercebo-me que a raivva é demasiado envolvente. Os gritos morrem-me na garganta e envolvem-me os olhos com vendas para que eu não te consiga voltar a desejar...Entao,quando olho novamente para ti, tendo a certeza que distancias-te num outro  reflexo,compreendo que o que sinto é contra mim. Idealizei-te como alguem que não eras, que apenas existia na minha cabeça ou no pedestal em que indevidamente te coloquei... Volto, por culpa minha, a sentir o mesmo vazio que sentira em meses anteriores. Todo o trabalho interior realizado nos ultimos tempos, desperdiçado por culpa de alguem que nem se enquadrava nos meus estereotipos...Um dia, um dia, espero aprender (de vez) a minha lição.

2 comentários:

Sayuri Okamoto disse...

todos nós esperamos de vez aprendermos como fazer... e enquanto não...vamos apenas nos iludindo mais...

Beijosss

broken_inside disse...

ás vezes faltam as forças, mas ao menos sei que o caminho é para a frente :)

abraço