quinta-feira, julho 12, 2012

saudades tuas.


A saudade beija-me a pele queimando-a.  A sensação, por breves segundos, é parecida com o calor provocado pelos beijos que me costumavas dar. Este calor, no entanto, é abrasador e destroi-me as entranhas, corroendo o meu intímo enquanto pronuncia suavemente o teu nome e eu recordo, contrariada, os sentires que provocavas em mim e os abraços apertados que eram o culminar de momentos perfeitos. Os sorrisos foram-me roubados e a saudade dos afectos e da paixão com que me inundavas a alma impede-me de querer algo que não sejas tu. As recordações são tão dolorosas quando tudo o que significavas se esvai, numa memória que eu julgo ser parte de uma grande mentira. Manipulaste este coração para que o mesmo caísse a teus pés e pudesses manobrar-me da maneira que bem entendesses. Parva, rendi-me aos teus encantos e julguei-te quase perfeito... Tenho agora as mãos cheias de nada e o coração cheio de saudade que rasga e prende, impedindo-me de sorrir e expulsar esta dilacerante angústia do meu peito. E eu necessitava apenas de uma explicação, de um motivo para poder enterrar este amor e aprender novamente a viver; mas tu refugias-te no silêncio e qual covarde ladrão de afectos, ignoras os meus lamentos e não me entregas uma razão, aprisionando-me nesta falta que me fazes. E abraço-me á saudade, recordando pesarosamente os momentos de felicidade que vivi contigo e que sei que não vou repetir. E tenho muito medo...

5 comentários:

Leonor disse...

adoro, adoro, adoro *

Cáa Moutinho disse...

Aiii *.* texto mais do que lindo ! adorei !

Skinny Love disse...

o texto está lindíssimo :)


beijinho * Monstros no Armário

SM. disse...

Adoro os teus textos : ) sigo os proximos!

Catarina disse...

amei, tens uma escrita maravilhosa !