segunda-feira, janeiro 16, 2012

meias verdades.




Os afectos que se fazem sentir mais intensamente, as emoções que retinem de forma impertinente, são as que se revelam absurdas. O desejo de alcançar coisas impossíveis, precisamente porque o são. A triste nostalgia que te atormenta quase diariamente por causa de algo que nunca existiu e dificilmente, tornar-se-á realidade. O insistente sonho que, na tua  sedenta de amor mente , demonstra-te o que poderia ter acontecido. A incerteza de compreender acertamente sorrisos soltos que pairam na atmosfera. O receio de se afogar na mágoa que a negação colada em palavras que te respondem poderia causar.  O descabido ressentimento de não poder ser outra pessoa. A incompreendida insatisfação num mundo que se revela imperfeito. Todas estas meias verdades, presentes em almas semi-conscientes, criam em nós uma paisagem idílica porém dolorosa, um eterno pôr-do-sol que poderíamos mas nunca chegamos a ser.

4 comentários:

mariana disse...

oh muito obrigada! adorei o texto*

Dan disse...

Muito lindo teu espaço aqui!
Lhe seguindo agora. Me visite , ficarei feliz.

Bela semana! Beijos

Dan

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

mais um lindo, como tantos outros.

catarina disse...

mais uma vez, perco-me nas tuas palavras. adorável e sincero *