sexta-feira, dezembro 09, 2011

chegadas e partidas.


De cima do meu mundo, refugiada na janela, consigo controlar os teus pequenos e seguros passos. Vejo as tuas chegadas e partidas e sinto-as no meu coraçãozinho. Como se não bastassem as borboletas que me plantaste no estomâgo quando estava distraída! Tudo em meu redor denuncia que estás por perto e, se me concentrar, consigo perceber que já é dificil passares despercebido ás valentes batidas do meu coração.
As chaves que teimam em alertar-me para a tua presença, as portas que abrem e fecham, o ruído do teu carro que aprendi a conhecer, tudo indica-me que tenteias o meu mundo, mesmo que não planeies ficar. São pequenos indicadores que me arrancam suspiros no silêncio da noite e fazem-me murmurar o teu nome, ainda que nas paredes do meu quarto. Não posso prender-te ao meu universo quando não sei, de modo algum, se gostavas de ficar em mim. A minha alma é instável e não posso permitir que se afeiçoe á tua sem um sinal de que o sentimento é, remotamente, mútuo. A ansiedade começa agora a reclamar baixinho por palavras tuas além das habituais. Eu pedia-as se me embrulhasse em coragem, mas tenho receio que cesses qualquer sílaba e recaia na fragilidade do meu ser. E assim, partiste novamente, sem que eu pudesse forçar a alma a acenar-te para ficares...

5 comentários:

Sofia ☮ disse...

AMEI ESTE TEXTO !
podes sempre puxa-lo novamente

leah disse...

adorei! sigo*

(in)felicidade disse...

oh, que doce c:

Cristiana Lourenço disse...

amei! sigo *

Beatriz Mateus disse...

ADOREI. Sigo :)