quinta-feira, novembro 10, 2011

Devaneios (outros mil).




Por entre os momentos de dor, agarro-me aos segundos que deixam o meu coração descansar. A respiração torna-se menos ofegante e consigo suportar a claridade de mais um dia. Concentro-me, sem grande esforço, em tudo o que me proporciona alívio á alma suturada, absorvendo pequenos goles do meu imprescendível café.
Quase de imediato , consigo perder-me no meio da multidão que todos os dias deambula pela cidade. Apraz-me  vaguear por entre caras desconhecidas que acalmam os pensamentos enlouquecidos e não me perseguem durante os sonhos. Sinto-me, com efeito, mais leve, desprendida de todos os sentimentos que me devoram a alma de cada vez que o coração a recorda que não te tenho. É quase reconfortante saber que ninguém sabe como me sinto a cada hora que se arrasta e que todos acreditam no meu sorriso.
De repente, deparo-me com uma cara familiar entre todos os desconhecidos. Todo o meu ser treme, acreditando não ser possível o destino ser cruel a ponto de colocar-me novamente diante do que mais temo. Eu fujo, escondo-me, tranco as minhas estilhaçadas emoções longe de ti,  mas os teus olhos encontram sempre um trilho até á minha fragilidade. As barreiras construidas em volta do meu amâgo desvanecem-se assim como a neblina dispersa-se com os ténues raios de sol.
E, mesmo quando tudo o que desejo é desaparecer no meio de todos os rostos que não me atormentam, a tua imagem tatuada na minha mente impregna-se em mim, em cada gota de sangue, colando-se a cada tentativa minha de te esquecer...

7 comentários:

Soraia Loureiro disse...

lindo *

Soraia Loureiro disse...

obrigada eu fofinha *

letícia ♥ disse...

OBRIGADA POR SEGUIRES !
também sigo (:

Jú S disse...

oh obrigada querida!

BS * disse...

Muito lindo este!
Adorei, e sigooo * :)

Lúcia Pereira disse...

pois querida , infelizmente mesmo :s . obrigada , também sigo

Martinha disse...

oh, que querida. Muito obrigada princesa. Gostei muito do blog. Os teus textos são lindos. Vou seguir*