sábado, novembro 19, 2011

insanidade sentimental


Num ápice que se perdeu no nosso passado, durante um de muitos momentos de insanidade sentimental, quase forçei as palavras a empurrarem as tuas na direcção da minha desocupada índole. Pensava que, deste modo, conseguiria levar-te a exprimir o que guardas no peito acalentado e que te recusas a deixar escapar. Que  ideia descabida a minha! Como poderia eu esperar que expressasses o que não sentes no frio do teu coração? Porque motivo deveria eu aguardar que entoasses vocábulos soltos e desprovidos de sentido apenas para me acalmar a saudade e a vontade de voltar a ser tua?
Enquanto continuo presa na esperança de algum dia conseguir atrasar os ponteiros do tempo que se esconde em todos os relógios que motejam e escarnecem a minha fragilidade; almejo regressar ao momento em que me sussurravas timidamente que eu era um pedaço intermitente da tua vida e serias tu a resgatar-me da solidão que me abraçava constantemente. Na outra face da nossa existência, continuas suspenso no teu mundo repleto de todas as coisas que não são eu. Esqueces-me continuamente e eu continuo deslumbrada pelo teu aroma, eternamente entrelaçado no oxigénio que sou obrigada a deixar entrar nos meus calejados pulmões. 



Esta rotina que me tortura afigura-se-me, sem pudor algum, a uma cruel adaga enterrada profundamente no lado esquerdo do peito. A dor de não ouvir as palavras que imagino incessantemente abrirem caminho por entre os teus saudosos lábios torna-se, em quase todos os escorregadios segundos, sobrehumana e exorbitantemente tortuosa. Ainda assim, o que me dilacera verdadeiramente a alma esquartejada consiste em sentir-te as palavras lúgubres, preso a uma realidade que não aquece o teu álgido amâgo, confinado a um medo devastador de sentir finalmente amor na verdadeira acepção da palavra.  Chamar-me-iam ingénua, sem dúvida alguma, mas eu ainda juro sentir as nossas almas enlaçadas nas palavras que não me recitaste.

[ Tu serias, com certeza, se te permitisses evadir, a minha excepção á regra.]

6 comentários:

letícia ♥ disse...

adorei**

Maria Inês disse...

Escreves tão bem $:

Maria :) disse...

gosto muito do teu blog =) sigo *
vê o meu e se gostares segue-o: http://adreamcometrue-myblog.blogspot.com/

- MartaRibeiro * disse...

Gosto muitooooo , vou segir .
segues o meu ? (':

Maria Inês disse...

Não tens que agradecer querida (:

Anastasie disse...

gostei muito. estou a seguir :)*