sábado, abril 17, 2010

Flores do Campo


Enrolada no cobertor penso em ti. Não é meu pensar em ti. Não é meu dizer que penso em ti. Mas hoje digo. Mas hoje penso. E digo-o e penso-o porque te quero, porque sinto a tua falta. Queria-te aqui comigo, enrolados os dois no cobertor, no meio de festinhas e de beijiinhos na barriga. Até já sinto o teu cheiro a tocar a minha pele sensível. Até já sinto o teu toque a perfumar o ar que respiro. Até já sinto a tua voz a encher-me a vista. Até já sinto o teu olhar a prefurar-me os ouvidos. Até já sinto...
Somam-se-me dias e tudo é tão pouco. Tão pouco.

Sem comentários: