sábado, outubro 02, 2010

Hoje trouxe comigo o medo ...


Hoje trouxe comigo o medo de me encontrares aqui.As palavras são trémulas e escondem de forma pouco convincente aquilo que tento negar dia após dia...O medo assombra quase todas as minhas horas. O receio de ser apenas mais uma ilusão como tantas outras impede-me de dormir. Esta noite foi mais uma complicada, em que fantasiava contigo e imaginava ouvir palavras que nunca vou ouvir. Eu não sou o tipo de ninguem. Nunca fui.Afundo-me novamente nos lençois brancos de linho. A noite não é fria mas eu estremeço. Volto a pensar em ti e pergunto-me quando te vou voltar a ver. Não deveria desejar aquilo que nunca poderei ter...
Escrevo a carvão que ainda estou agarrada ao passado, numa tentativa vã de me [nos] convencer que aquilo que sinto é apenas confusão e nada mais. Numa tentativa de me lembrar que em janeiro tudo chega ao fim...
Porque haveria de ser diferente desta vez? Porque deveria eu pensar que havia chegado a minha altura de tentar mudar o destino? O meu [nosso] destino é inalteravel... A almofada ensopa-se nas minhas frustações. O medo é sempre mais forte... meu coração lateja e avisa-me que não aguenta mais desilusões. As cicatrizes deixadas pelo ultimo semelhante estão ainda demasiado presentes...
Mas o tempo foge-me." Tens até Janeiro" ...Recorda-me o ofegante coração. E volto ás minhas dilacerantes dúvidas. Cortam-me as emoções e magoam-me novamente. Lembro-me dos teus olhos verdes cor de esmeralda...E enquanto olhavas para trás, pensava: "afasto-me eu também."

Sem comentários: