sexta-feira, julho 20, 2007

Embaciado beijo


Embaciado beijo. Adivinhar-te numa gota, quando me beija a janela. Sorvo-te uma e outra vez saciando a ilusão com escritos que devolvem a razão…No embaciado vidro encontro o teu nome no labiríntico dançar de lágrimas.Afago a doce, triste, fria, nostálgica chuva vendo-a diluir-se num presente que já foi: guardo-a num recipiente apropriado, intemporal, e desenho um coração num quadro que te ofereço. Quando a chuva me beija a janela adivinho-te numa gota. Depois das livres folhas que esvoaçam livres,aprisionei-me...diluindo-me em ti.

Sem comentários: