terça-feira, janeiro 16, 2007

Tão assim


Quando te despes à minha frente. É como comer uma goma e respirar fundo. Podes rir-te...É magnífico e parvo. Mas eu gosto. De qualquer das maneiras vestir-te de novo é como fingir que te amo. Amar, palavra cara. Palavra que eu nem gosto assim tanto. Fica-me colada no ouvido e eu detesto que me colem coisas ao ouvido. Só na boca. Porque se dizem. Ao menos ficas calado. Mas despes-te. E podes tapar a zona esquerda? É que me confunde os sentidos, e eu hoje fiz-me ao mar e ainda tenho sal na ponta do corpo. A exclamação e a ironia perturbam-me. E afinal, eu nem gosto assim tanto.

Sem comentários: