sexta-feira, outubro 06, 2006

Histórias de embalar...


Era uma vez. Duas ou três. Já lhes perdi a conta. Histórias de embalar. Contos de boca em boca. Bruxas e lobos maus. Uma vez. E outra. sempre.

Em nuvens densas que condicionam a cegueira. Em marés cheias que limpam os sonhos cuidadosamente escritos em areia dourada. Em cigarros que adensam o nevoeiro dos sentimentos. Com a sua cinza fúnebre. Disfarce da dor que és em mim. Que causas em todos os momentos. Mesmo sem o saberes. Sem o quereres. Inconscientemente ou não. Até quando pedes desculpa por tudo.

Sapiencia de algo que não admites cometer. Mágoa profunda dos amanhãs. Dos porvires. Ignorancia tua dos meus porquês. Incapacidade omnipresente de me entender. Ou de me quereres.

Histórias de embalar. Simplesmente.

Sem comentários: